SHARE

Encontro com borboletas, macacos, flores e um jatobá centenário emocionou os participantes

O domingo começou de forma diferente para cerca de 60 pessoas que deixaram a preguiça de lado e participaram da Visita Monitorada à Mata de Santa Genebra. Depois de uma breve palestra sobre os projetos e ações da Fundação José Pedro de Oliveira, o grupo partiu para uma caminhada de cerca de 5km.

O passeio, aberto à comunidade, inclui trilha pelo entorno e interior da Mata, visita ao Borboletário e ao Jatobá. Pelo caminho, os visitantes tiraram fotos, encontraram borboletas, macacos, flores e muito conhecimento.

Segundo os organizadores, a visita faz parte do calendário de eventos da Fundação e acontece no último domingo de cada mês, com o objetivo de aproximar a comunidade da Mata. “Temos que aproximar as pessoas dos nossos projetos, torná-las parte e também responsáveis pela preservação do nosso pedaço de floresta. Conhecer para preservar, este é o nosso foco”, disse o presidente da Fundação, Sinval Dorigon.

O presidente reforçou, ainda, que para este ano, o objetivo da equipe é ampliar as ações de educação ambiental e eventos que levem a comunidade para a Mata. “Além de eventos que já fazem parte do calendário, como o Ecoférias na Mata, a Visita Monitorada e a Caminhada Noturna, temos outros projetos em andamento, sempre com o objetivo de aproximar a comunidade das nossas ações”, completou.

Quem participou da visita deste domingo aprovou a iniciativa e garantiu que participará de outros eventos promovidos pela Fundação. A pedagoga Márcia Regina Adami Pereira, por exemplo, gostou muito da caminhada e garantiu que além de participar de novas atividades, também trará outras pessoas com ela. “Esta é a primeira vez que eu participo da caminhada na Mata e estou muito contente com tanta diversidade. É uma caminhada maravilhosa, que eu recomendo”, disse.

Regina Rossini estava emocionada ao final do passeio. “É tudo emocionante. É sentir que no meio do tumulto todo da nossa vida a gente ainda tem esse espaço que nos salva. Parece que eu não estou em Campinas, parece que eu estou em outro lugar, estou no meio da Mata. As pessoas têm que vir, tem que fazer a caminhada”, disse.

Um dos pontos altos do passeio foi a chegada ao Jatobá, uma árvore de grande porte, que encanta e emociona os participantes. “Todas essas árvores que nós vimos, que estão há muito tempo aqui, como o caso do Jatobá, me fazem imaginar o quanto elas já viram de história, o quanto ele (Jatobá) já não olhou à volta dele. É muita vivência e é bom estar ao lado de quem já viveu muito. A energia é muito boa”, completou Regina.

Mais informações sobre as ações desenvolvidas pela Fundação José Pedro de Oliveira podem ser obtidas no site www.fjposantagenebra.sp.gov.br/ ou pelo e-mail contato.fundacao@fjposantagenebra.sp.gov.br . A Fundação fica na Rua Mata Atlântica, 447, Bosque de Barão Geraldo.

Sobre a Mata de Santa Genebra

A Mata de Santa Genebra é considerada a maior floresta urbana da Região Metropolitana de Campinas. É uma Unidade de Conservação Federal com grande diversidade de fauna e flora nativa.

A reserva ecológica possui 251,7 hectares de Mata Atlântica, totalizando um perímetro de 9 quilômetros. Caracteriza-se como um importante remanescente preservado em meio urbano, utilizado para educação, pesquisa e conscientização ambiental.

LEAVE A REPLY