SHARE

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas recebeu a chancela de Patrimônio Cultural Imaterial da cidade, do  Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas (Condepacc),  e está inscrita no Livro de Registro das Formas de Expressão reconhecidas pela comunidade.

O reconhecimento foi votado por unanimidade pelos conselheiros após a apresentação da especialista cultural da Secretaria de Cultura de Campinas, Marcela Bonetti, que traçou o histórico da Sinfônica, desde sua fundação, em 1929, até a contemporaneidade. A Sinfônica chega aos 90 anos como a mais antiga do gênero em atividade no País, com uma extensa e significativa atuação na cena nacional. “Esta é uma data muito especial, pois a Orquestra Sinfônica de Campinas traz muita alegria para a nossa cidade”, afirmou o prefeito de Campinas, Jonas Donizette.
A reunião do Condepacc aconteceu na manhã da última quinta, 14 de março. O registro como Patrimônio Imaterial, segundo observou o secretário de Cultura, Ney Carrasco, confere a um bem cultural o reconhecimento equivalente ao “tombamento” de um patrimônio físico. “É uma instituição que se mantém viva, pulsante, em plena atividade”, afirmou.
Em Campinas, outras manifestações culturais já receberam a chancela de Patrimônio Imaterial, como o Samba de Bumbo campineiro, a Comunidade de Jongo Dito Ribeiro, a Capoeira, as Folia de Reis e a prática das Brincadeiras Tradicionais de Rua.

LEAVE A REPLY