SHARE

As obras de implantação dos corredores BRT (Bus Rapid Transit, Ônibus de Trânsito Rápido) no município estão a todo vapor e avançam para mais uma região. Os trabalhos de implantação do Corredor BRT Ouro Verde chegam à região do bairro São Bernardo, importante ligação para a região central de Campinas e rota para o Terminal Central.

Os trabalhos concentrados na Avenida das Amoreiras agora também serão realizados entre a Avenida Prefeito Faria Lima e o viaduto da Rodovia Anhanguera. A região possui intensa circulação de veículos e pedestres, além de diversos pontos comerciais e instituições financeiras.

Para minimizar os impactos à população e manter a fluidez viária, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) adota várias medidas operacionais, que serão colocadas em prática gradualmente, a partir da próxima quinta-feira, dia 10 de janeiro. “Com muito cuidado, planejamento e comunicação, nós vamos realizar essa intervenção em importante trecho da Avenida das Amoreiras. As ações operacionais serão implantadas sequencialmente, com o objetivo de promover segurança na nova circulação, manter a fluidez viária e minimizar os impactos para os motoristas que circulam na região”, enfatiza o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

Medidas

A partir de 10 de janeiro, os ônibus que circulam pelo corredor da Avenida das Amoreiras, no novo trecho de obras do BRT Ouro Verde, serão desviados para as vias marginais. Os pontos de parada serão mantidos na mesma direção dos pontos tradicionais. A ação é necessária para trabalhos de demolição do atual corredor de ônibus e, posterior, implantação de novo pavimento.

Em 15 de janeiro, a Rua Padre Bernardo da Silva, no Bairro São Bernardo, passa a ter sentido único de circulação em todo trecho. Os veículos irão trafegar no sentido bairro – Centro. A Padre Bernardo da Silva é uma importante via paralela à Avenida das Amoreiras e será utilizada como rota alternativa.

E no dia 22 de janeiro, o novo trecho em obras avança para mais uma faixa de rolamento da via, além do corredor de ônibus. Com isso, os motoristas terão uma faixa de rolamento por sentido, como já acontece na Avenida das Amoreiras, desde o cruzamento com a Rua Bragança Paulista, na região do Jardim Novo Campos Elíseos.

Agentes da Mobilidade Urbana da Emdec circulam pelas regiões com obras, monitorando o trânsito e auxiliando na segurança e fluidez da circulação viária; os tempos semafóricos de cruzamentos das vias com interdições também serão reprogramados. Caso necessário, ajustes serão realizados na operação. As dúvidas da população podem ser esclarecidas pelo telefone 118, o “Fale Conosco Emdec”.

Obras

As obras do Corredor BRT Ouro Verde chegaram à região da Avenida das Amoreiras em setembro do ano passado (2018). Englobam frentes de trabalho desde a Rua Bragança Paulista, passando pela Avenida Senador Antônio Lacerda Franco, chegando à Rodovia Anhanguera e, agora, estendendo até a Avenida Prefeito Faria Lima.

O local recebe obras de drenagem, construção de novo pavimento para o corredor BRT e construção de estações de transferência (Vila Rica, Anhanguera, Parque Industrial e São Bernardo).

 

A região está dentro do Lote 3 de implantação do BRT. O Lote 3 compreende o trecho 1 do Corredor Ouro Verde, que liga a região central até a Estação Campos Elíseos, com 4,8 km de extensão. A responsável pelo Lote 3 é a empresa Compec Galasso. O valor total do lote é de R$ 66,5 milhões.

 

BRT

 

Os três corredores BRT do município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral – têm custo total de R$ 451,5 milhões. São 36,6 km de corredores, com previsão de conclusão total em meados de 2020.

 

O BRT Ouro Verde terá 14,6 km de extensão, saindo da região central, seguindo pelas vias João Jorge, Amoreiras, Piracicaba, Ruy Rodriguez, passando pelo Terminal Ouro Verde, Camucim até o Terminal Vida Nova. Nesse trajeto, serão construídas quatro obras de arte (pontes e viadutos).

Obras de revitalização do Parque Ecológico começam após o Carnaval

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, assinou neste domingo, 4 de fevereiro, a Ordem de Serviço para o início da primeira fase das obras de revitalização do Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim. As reformas começarão após o Carnaval e devem durar cerca de seis meses.

Localizado na região leste, o Parque Ecológico é a maior área de lazer de Campinas em extensão, com 1,1 milhão de metros quadrados. O investimento desta primeira etapa será de R$ 1.068.000,00, em convênio com a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Deste total, a prefeitura de Campinas, como contrapartida, arcará com R$ 188 mil. Os trabalhos desta primeira etapa irão incluir reformas e melhorias nas seis quadras poliesportivas, duas pistas de caminhadas, campo de grama de futebol, pista de skate e campo de bocha.

Na cerimônia realizada no próprio Parque Ecológico, o prefeito Jonas Donizette lembrou da história do espaço, que há mais de três anos foi municipalizado. A área integrava a antiga Fazenda Mata Dentro. Foi incorporada, em 1937, pela Secretaria Estadual de Agricultura como Estação Experimental do Instituto Biológico. Em 1987 foi transformada em Parque Ecológico pelo Governo do Estado. Em 2014, o local, que pertencia ao Governo do Estado, passou para a prefeitura de Campinas. “É mais uma melhoria que fazemos dentro do ‘Programa Campinas Bem Verde’, que já recuperou mais de 200 áreas verdes da nossa cidade. O Parque Ecológico é um patrimônio de Campinas que estamos preservando, para dar ainda mais qualidade de vida à população”, afirmou o prefeito.

O secretário municipal de Serviços Públicos, Ernesto Dimas Paulella, destacou as ações dos últimos anos que têm contribuído para um novo momento do parque. Além de melhorias e criação de novos espaços, como pistas para a prática de mountain bike, o Parque Ecológico tem recebido uma série de atividades esportivas, culturais e gastronômicas. “O prefeito cumpriu a promessa de retomar a vida do parque, as pessoas voltaram a frequentá-lo. A Secretaria de Esportes e Lazer, por exemplo, também colocou vida ao realizar constantes eventos. Com isso, atingimos o objetivo de voltar a ter atividades aqui para a população de Campinas.”

Representando a Câmara Municipal de Campinas no evento, o vereador Luiz Carlos Rossini acredita que a revitalização irá atrair mais público em busca de opções saudáveis de esporte e lazer. “Parabéns ao prefeito por mais esta ação do seu governo e parabéns Campinas, que vai receber um parque todo revitalizado, local onde as pessoas irão se sentir bem”, projetou o vereador. Além de frequentadores do parque, a cerimônia de assinatura da ordem de serviço contou com as presenças de outros secretários e vereadores.

Segunda fase

Após a conclusão desta primeira etapa, o prefeito Jonas Donizette revelou que o foco será a segunda fase da revitalização, que irá contemplar reformas no Casarão (antiga sede da fazenda), todo o alambrado do parque (cerca de cinco quilômetros quadrados) e os sanitários. O investimento para a segunda fase, que também faz parte do convênio com a Secretaria do Meio Ambiente do Estado, será de cerca de R$ 7 milhões, sendo 20% deste valor de contrapartida da prefeitura de Campinas. “Por questões contratuais, a segunda etapa, que é maior que a primeira, só pode ser realizada após concluirmos a primeira e prestamos contas. A segunda etapa envolve vários aspectos, mas o principal é a revitalização do casarão, que é histórico para Campinas, da época dos barões do café”, destacou o prefeito.

Obras da primeira etapa de revitalização

Quadras poliesportivas – As seis quadras poliesportivas serão reformadas, terão novo piso, pintura, troca do alambrados e instalação de novos equipamentos esportivos, como tabela para basquete, postes para vôlei e traves para futsal.

Pista de skate – Reforma e pinturas da pista. Parte dela será demolida e reconstruída.

Campo de grama de futebol – Troca de grama e do alambrado, instalação de novos portões.

Pistas de caminhada – Troca de 2.600 metros quadrados das duas pistas. Os trechos de terra e de pavimento – que estão desgastados – receberão piso intertravado.

 

Campo de bocha – Nivelamento e troca de piso.

 

LEAVE A REPLY