SHARE
A abertura da 3ª maratona dos hackers do bem, realizada pela IMA – Informática de Municípios Associados e a Secretaria Municipal de Educação, teve a participação de 25 pessoas distribuídas em oito equipes. A motivação maior – ter seu nome assinando um projeto utilizado por uma cidade com mais de 1,2 milhão de habitantes – provocou boa expectativa entre os participantes e organizadores.
Esta edição é a primeira em parceria com a Educação e, por isso, recebeu o nome de HackEdu. Os maratonistas se reuniram no Teatro IMA Cultural onde foram recebidos com um farto café da manhã e participaram de palestras e oficinas que simulavam situações cotidianas de pais, alunos, professores e dirigentes escolares.
Após o almoço, uma rápida sessão de “tira-dúvidas” e os participantes deram início ao trabalho de “ideação”, que consiste em definir o trabalho que será desenvolvido. Após a definição, não é possível mais alterar os objetivos. Os trabalhos considerados plágios serão desclassificados.
O vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira prestigiou a abertura e destacou a importância do incentivo às novas ferramentas digitais para fazer jus à atual classificação no Ranking Nacional de Cidades Inteligentes e Conectadas. “Campinas é um polo tecnológico e de conhecimento que tem esse sentido de atrair pessoas de diversos locais de todo o Brasil. Figuramos agora em primeiro lugar no ranking e isso nos dá muito prestígio. É o reconhecimento do nosso trabalho e da vocação da nossa cidade”.
Fomentar esse tipo de ação para jovens desenvolvedores é uma tarefa inerente da IMA, empresa com trajetória de inovação no segmento tecnológico. Seu presidente, Fernando Garnero, disse que os 25 jovens participantes estão tendo a oportunidade de deixar o fruto de suas mentes criativas como um legado para Campinas. “Eles estão desenhando o futuro. O objetivo principal é o de apresentar projetos inovadores para o uso comum da autoridade escolar, dos alunos e de seus pais. A IMA acaba de ser reconhecida pelo sistema de Avaliação On Line para as escolas públicas municipais e esse hackathon da Educação só vem a somar com nossa expertise nesse campo”.
Também participou da abertura, o assessor especial da Secretaria de Educação, Thiago Ferrari, representando a secretária Solange Pelicer. “Estamos envolvendo o Poder Público, as demandas do Poder Público e a população. E quando a gente envolve a população para apresentar soluções inovadoras, elas se sentem participando das soluções das demandas. Estamos mostrando exatamente o que o prefeito Jonas Donizette tem cobrado da gente: que Campinas seja a cidade da inovação.”
Agora os maratonistas terão 30 dias para desenvolver os sistemas idealizados. A apresentação do produto final e a escolha do projeto campeão será no dia 9 de novembro.

LEAVE A REPLY