SHARE

Site compara dados de óbitos de 2019 com os registrados neste ano; na primeira etapa com foco em seis capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, Porto Alegre, Fortaleza e Recife

  A Faculdade São Leopoldo Mandic lança o COVID-Excess, uma ferramenta que mostra o excesso de mortes ocorridas em 2020 e que podem ser atribuíveis ao coronavírus (Covid-19). Nesta primeira fase, os dados contemplam seis capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, Porto Alegre, Fortaleza e Recife.

“O método é baseado no cálculo do número de mortes esperadas para 2020 com base na mortalidade observada no ano passado”, afirma o médico epidemiologista da Faculdade São Leopoldo Mandic e responsável pelo COVID-Excess, Dr. André Ricardo Ribas de Freitas.

Os dados são coletados diariamente no portal de Transparência do Registro Civil, mantido pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (ARPEN Brasil). A iniciativa, que conta com apoio de alunos da graduação de medicina e pesquisadores de outras instituições, usa metodologia já consagrada em países europeus e nos Estados Unidos para avaliar o número de mortes anuais por influenza, mas que tem sido aplicada com sucesso nestes países para estimar o total de vítimas da Covid-19.

“A ferramenta tem como objetivo mostrar os efeitos da epidemia de Covid-19 na mortalidade geral. Observamos que o número de mortes tem sido muito maior do que o sistema de vigilância epidemiológica consegue captar, isto é particularmente grave em cidades como o Rio de Janeiro e Manaus”, diz Ribas.

Informações sobre o COVID-Excess, acesse: https://public.tableau.com/profile/andr.ricardo.ribas.freitas1810?#!/vizhome/Site1_15893422136750/ExcessodemortesduranteapandemiadeCOVID-19

 

 

 

LEAVE A REPLY