SHARE
Protocolo de segurança determina testagem periódica e checagem clínica para atletas e demais profissionais; retorno de competições segue sem data

O Governador João Doria confirmou nesta quarta-feira (17) a autorização para a retomada de treinamentos pelos clubes de futebol de São Paulo a partir de julho. A liberação impõe um protocolo de segurança que prevê testagem periódica de atletas e demais profissionais e medidas de distanciamento durante atividades individuais. Ainda não há data prevista para o retorno de competições oficiais.

“Estes protocolos referem-se apenas ao retorno aos treinamentos, a retomada das partidas será avaliada em fases posteriores e sempre em conjunto com a Federação Paulista de Futebol e a CBF”, afirmou o Governador. “Sabemos que vamos contar com a colaboração de dirigentes das equipes do Estado. Tenho a convicção que nenhum dirigente esportivo deseja o mal e o risco a atletas e profissionais que atuam em comissões técnicas”, acrescentou Doria.

A liberação foi decidida na véspera, em reunião entre representantes do Governo do Estado, clubes, Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo e Federação Paulista de Futebol. O protocolo sanitário e de segurança foi submetido à análise e aprovado por especialistas do Centro de Contingência do coronavírus do Estado.

O retorno aos treinos só será permitido depois que atletas e demais profissionais forem submetidos a exames prévios do tipo PCR – com coleta de amostras de mucosa nasal e saliva – e os chamados testes rápidos, que são feitos geralmente com a coleta de uma pequena amostra de sangue.

O teste PCR serve para confirmar ou não se a pessoa está com o coronavírus. Já o teste rápido determina se a pessoa teve contato anterior com o vírus e agora possui anticorpos contra o organismo causador da COVID-19. O protocolo recomenda a repetição dos testes entre os profissionais de futebol a cada semana.

Inicialmente, os treinos só deverão envolver atividades físicas individuais, com limitação no número de pessoas presentes e veto à presença de jornalistas ou público. Atletas e demais profissionais deverão respeitar distanciamento mínimo e o uso de máscaras é obrigatório, exceto quando a proteção prejudicar o desempenho dos jogadores.

Profissionais com idade a partir de 60 anos ou portadores de doenças crônicas não devem participar dos treinamentos. O acesso ao espaço de treinamentos terá entrada única, com medição de temperatura e questionário sobre apresentação de sintomas comuns a síndromes gripais. Cada clube deverá manter um registro de casos suspeitos, testes realizados e diagnósticos confirmados com análise periódica das informações.

Médicos, fisioterapeutas e demais profissionais de saúde deverão sempre usar equipamentos de proteção individual durante as atividades com atletas. Os clubes também deverão fazer divulgações periódicas de conscientização sobre a pandemia e medidas de higiene pessoal e distanciamento social fora do ambiente profissional.

Em caso de casos confirmados de contaminação pelo coronavírus, os pacientes deverão ser imediatamente isolados, além de monitoramento e testagem de pessoas com quem tiveram contato dentro e fora dos clubes. O Governo do Estado deve anunciar protocolos e medidas de segurança para liberar as demais modalidades – seja em âmbito amador ou profissional – no próximo dia 26.

LEAVE A REPLY